"A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar." (Martin Luther King Jr)

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Para ministra do TST, superar precarização do trabalho é chave para desenvolvimento nacional

O cenário brasileiro atual é de desvalorização e precarização do trabalho e aumento da desigualdade, situação advinda da banalidade da exploração do trabalhador. Essa foi uma das mensagens da palestra da ministra do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Kátia Magalhães Arruda, na Aula Magna de abertura do ano letivo da Escola Judicial do TRT da 2ª Região (Ejud-2). Confira o álbum de fotos.Durante a apresentação, a magistrada retomou o nosso passado escravagista para traçar um perfil do país. Citou o sociólogo Gilberto Freyre para afirmar que o Brasil nasceu com o germe da exploração e que é muito difícil romper essa ideia. E destacou que o sucesso nessa empreitada é fundamental para a evolução. “Um projeto de nação passa pelo desenvolvimento, que só pode acontecer com justiça social. Nenhum país do mundo cresceu e realmente se desenvolveu com uma contradição tão latente quanto a nossa”, disse.Um dos exemplos usados pela ministra foi o dos entregadores em plataformas digitais. “Frente a essa realidade, a indiferença leva a mais precarização. Mas a indignação pode levar à construção de cidadania”, completou.Ministra Kátia Magalhões Arruda recebe o certificado de palestrante da desembargadora-presidente Beatriz de Lima Pereira e do desembargador Alvaro Alves NôgaA Aula Magna foi aberta pela desembargadora-presidente da 2ª Região, Beatriz de Lima Pereira, que ressaltou o papel político-pedagógico das escolas judiciais, “tudo para que a formação do magistrado abarque a importância da valorização do trabalho em todas as suas dimensões”.O diretor da Ejud-2, Alvaro Alves Nôga, ressaltou a importância de oportunidades para  aprimorar os saberes, sobretudo no momento recente em que a competência da justiça especializada é questionada.Também integraram a mesa de abertura o ministro do TST Sergio Pinto Martins, a ouvidora do TRT-2, desembargadora Sueli Tomé da Ponte, o vice-diretor da Ejud-2, desembargador Homero Batista Mateus da Silva, a desembargadora Ivani Contini Bramante, o desembargador aposentado Adalberto Martins, entre outras autoridades.LançamentoAlém da palestra, a ministra Kátia Magalhães Arruda lançou sua obra “Direito, Trabalho e Tecnologia na Pós-Pandemia”, em co-autoria com persos estudiosos do direito do trabalho, incluindo a desembargadora do TRT-2 Ivani Contini Bramante. Também houve sessão de autógrafo com o público presente.
01/03/2024 (00:00)

Contate-nos

QUARTIERI SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Rua Cândido Carneiro  133
-  Vila Bom Jesus
 -  São José do Rio Preto / SP
-  CEP: 15014-200
+55 (17) 3364-0362+55 (17) 98107-0673
Visitas no site:  134616
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia