"A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar." (Martin Luther King Jr)

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

4ª CNJA: representatividade, marketing, direitos humanos e processo civil marcam segundo dia de palestras

O início da programação do segundo dia da 4ª Conferência Nacional da Jovem Advocacia (CNJA), nesta sexta-feira (12/04), contou com palestras sobre representatividade da mulher advogada, marketing jurídico, direitos humanos e processo civil. O evento realizado em Bonito (MS), reúne jovens advogados e advogadas de todo o Brasil com o objetivo de dialogar sobre as perspectivas profissionais e os desafios do início de carreira. No painel “Marketing jurídico: estratégias e limites”, a especialista no tema e  consultora em gestão legal Juliana Pacheco falou sobre a importância do planejamento estratégico. Juliana ressaltou que muitos advogados cometem o equívoco de partir para a ação sem um plano bem definido, resultando em frustrações e desperdício de recursos. O marketing jurídico, como explicado no Provimento 205/2021, consiste no uso de estratégias planejadas para atingir os objetivos do negócio jurídico. “Percebemos que os advogados esquecem de planejar essas estratégias. Eles vão direto para a ação e, muitas vezes, se surpreendem negativamente”, disse. Ela destacou a necessidade de os advogados conhecerem profundamente seus nichos de atuação e seus clientes, alertando para a armadilha da falta de paciência. “É preciso entender bem qual é o seu nicho, estudar muito o seu cliente, os serviços que você presta e quem é você, e qual é a identidade da sua marca. É isso que vai trazer um resultado consistente para a jovem advocacia”, revelou.  A palestrante também abordou os limites éticos do marketing jurídico, ressaltando que as restrições são a exceção, não a regra. Para Pacheco, é fundamental compreender o que é permitido e o que não é, para que o advogado possa fazer o marketing de atração na internet, conhecido como inbound marketing. Processo civil O vice-presidente da Comissão da Jovem Advocacia da OAB-MS, Ramatis Aguni, abordou os desafios enfrentados durante as audiências de instrução. Com uma plateia atenta, ele compartilhou seus insights, oferecendo orientações práticas para os colegas de profissão, além de práticas eficazes para o sucesso nas audiências judiciais. “A técnica de preparação processual, ao meu ver, hoje é mais pertinente, porque o advogado tem que ser eficiente. Eu acho que ele tem que atingir aquele objetivo da forma que ele cause menos ônus, que seja mais eficaz para o direito do seu cliente. E que, enfim, ele possa produzir as coisas, que possa se preocupar com o escritório, com o finanças, com o comercial”, destacou.  Durante sua fala, Ramatis enfatizou a importância de um roteiro preparatório detalhado, algo que muitos advogados podem negligenciar. "Sempre elaboro um roteiro preparatório para as audiências", destacou o advogado. Ele ressaltou que ter um plano bem estruturado, seja em papel, tablet ou celular, pode fazer toda a diferença, não só facilitando o processo, mas também garantindo que o profissional esteja preparado para lidar com qualquer adversidade. Confira e baixe as fotos do evento no Flickr do CFOAB.Conheça os participantes dos debates:Painel 13 - Representatividade da mulher advogada e as carreiras jurídicas Presidente Mesa: Tatiane Moraes (presidente da Comissão da Jovem Advocacia da OAB-PA) Janine Antunes Delgado (secretária-geral adjunta da OAB-MS) Rejane Sanchez (vice-presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada) Paula Sá (secretária-geral da Comissão Nacional da Advocacia Jovem da OAB Nacional) Painel 14 - Marketing jurídico: estratégias e limites Presidente Mesa: Luiz Renê Gonçalves do Amaral (secretário-geral da OAB-MS) Vitória Jeovana da Silva Uchoa (conselheira estadual da OAB-RO) Juliana Pacheco (especialista em marketing digital e consultora em gestão legal) Lenilson Ferreira Pereira (presidente da Comissão Nacional da Advocacia Jovem da OAB Nacional) Painel 15 - Tribunal do júri e direitos humanos Presidente Mesa: Fernanda Valério (membro da CNAJ) Tiago Bunning (conselheiro estadual da OAB-MS) Silvia Souza (presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos) Patricia Vanzolini (presidente da OAB-SP) Painel 16 - Processo Civil Presidente Mesa: Lauane Andrekowisk Volpe Camargo (Diretora-Geral da ESA-MS) Laura Sousa (presidente da CAAAC) Roberta Queiroz (secretária-geral adjunta da OAB-DF) Ramatis Aguni (vice-presidente da Comissão da Jovem Advocacia da OAB-MS) 
Fonte:
OAB
12/04/2024 (00:00)

Contate-nos

QUARTIERI SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Rua Cândido Carneiro  133
-  Vila Bom Jesus
 -  São José do Rio Preto / SP
-  CEP: 15014-200
+55 (17) 3364-0362+55 (17) 98107-0673
Visitas no site:  164397
© 2024 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia