"A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar." (Martin Luther King Jr)

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Trabalho das Câmaras de Benefícios segue a todo vapor na CAASP

 Seguem em ritmo intenso os trabalhos das Câmaras de Benefícios da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, colegiados de advogados e advogadas voluntários que, na qualidade de relatores, analisam e julgam os pedidos de auxílio pecuniário feitos à entidade. São cinco as Câmaras instaladas, cada uma presidida por um diretor ou uma diretora da CAASP, conforme seus estatutos.  No último dia 3 de agosto, foi a vez da 2ª Câmara, presidida pelo diretor da CAASP Edivaldo Mendes da Silva, o Barão, reunir-se de modo híbrido - em parte presencial, em parte virtualmente - para análise de demandas (foto). “A análise dos processos requeridos por advogadas, advogados, estagiárias e estagiários tem se dado de forma contínua e rápida, haja vista percebermos um aumento de requerimentos durante período da pandemia. Nos embasamos na documentação apresentada e exigida pelo Estatuto da CAASP, bem como no relatório elaborado pelo serviço social credenciado da  instituição através das entrevistas domiciliares. Os votos são escritos e fundamentados e o tempo de análise tem sido rápido”, diz a advogada Renata Stela Quirino Malachias, integrante da 2ª Câmara. Também compõem a 2ª Câmara Cristiane Bastos Lima , João Luiz Ribeiro dos Santos , Maria Aparecida Nery da Silva , Priscylla Furtado de Freitas Rodrigues, Rosa Ester Saez Figueroa, Thiego Leite Cruz , Vanessa de Oliveira Vendramin, Vera Silvia Ferreira Teixeira Ramos , Walter José Borges Antognetti.  As demais Câmaras de Benefícios da CAASP, cada uma composta por 10 relatores e relatoras, são presididas pelos diretores e diretoras Angélica Carlini (1ª Câmara), Lúcia Bludeni (3ª Câmara), Rossano Rossi (4ª Câmara) e Vilma Muniz de Farias (5ª Câmara). A concessão de auxílio pecuniário a advogados e advogadas em comprovada situação de carência é a principal obrigação estatutária da CAASP. A condição mínima exigida para que o pedido seja deferido é que o solicitante seja inscrito há pelo menos um ano na Secção São Paulo da OAB e comprove exercício regular da advocacia. Cabe a assistentes sociais da CAASP fazer visitas a quem que solicita auxílio e, a partir de entrevistas e ajuntamento de documentos, emitir os respectivos laudos sociais, os quais são analisados em processos pelas Câmaras de Benefício. Celeridade - Solicitações de auxílio pecuniário ao setor de Benefícios da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo feitas por advogados ou advogadas com câncer, portadores de deficiência ou positivos para HIV passaram nesta gestão a ser analisadas prioritariamente. A medida está formalizada na resolução normativa 001 / 2022.       “A tramitação dos requerimentos de concessão de benefícios assistenciais junto à CAASP já é rápida. Todavia, envidamos esforços no sentido de garantir celeridade ainda maior aos processos daqueles colegas que sejam portadores de deficiência física, estejam enfrentando câncer ou que sejam portadores do vírus HIV”, explica Leonardo Cedaro, secretário-geral adjunto e responsável pelo setor de Benefícios da CAASP.       O pedido para que a tramitação prioritária seja observada pode ser feito na inicial (concessão de benefício) ou mesmo no curso dos pedidos já em trâmite. “Medida imperiosa é a demonstração da situação alegada, por meio de documentação idônea”, assinala Cedaro.       Tais demandas não dispensam, a exemplo de todas as outras, a comprovação da situação de carência financeira pela pessoa pleiteante, como é regra em todos os processos de concessão de benefício que tramitam na Caixa. No caso dos portadores de HIV, deficiência ou câncer, o tempo máximo de análise dos processos, conforme estabelecido pela nova norma, será de 15 dias corridos após a entrega da documentação completa.       A norma 001 / 2022 baseia-se no que estabelecem a Lei No. 14.238 / 2021, que instituiu o Estatuto da Pessoa com Câncer, a Lei No. 13.146 / 2015, a chamada Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, e a Lei No. 12.984, que define o crime de discriminação dos portadores do vírus HIV.
11/08/2022 (00:00)

Contate-nos

QUARTIERI SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Rua Cândido Carneiro  133
-  Vila Bom Jesus
 -  São José do Rio Preto / SP
-  CEP: 15014-200
+55 (17) 3364-0362+55 (17) 98107-0673
Visitas no site:  35399
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia